domingo, 4 de setembro de 2016

E-le-i-ss-õ-es

         Finalizando mais um plantão e realizando os procedimentos para a troca com os colegas, vi chegar a moça que realiza a limpeza do nosso ambiente de trabalho.  Me cumprimentou com um bom dia esmaecido - afinal era Segunda feira - e sobrepondo-se ao som no do forró que ouvia em seu celular (nada quisto pra mim quanto ao volume,  textura,  tom e afins), me obrigou a ouvir mais essa:
- Muié... e "essas eleição tão" ruim, né? A gente "num" vê movimento "nas rua", nem nada...
- Eu acho ótimo!  Ainda não vemos muita sujeira nas ruas... - respondi, já querendo ir embora - ... e a gente sofre menos com a poluição visual, horário eleitoral... enfim!  Parece que até começou mais tarde dessa vez, né?
- Pois é... tá ruim demais essa política!  A gente nem ganha mais nada!  Nem gasolina pra colocar na moto. ..nammm...tá ruim demais!  Antigamente eles "dava" gasolina e até agora nada!
          Apesar de saber que essa situação existe, confesso que fiquei sem saber como agir, pois fui tomada por uma surpresa diante desse relato. Apenas bati em retirada, não antes de desejá-la uma ótima semana.
          Talvez tenha me acovardado por não reprimí-la e tentar "abrir" sua mente, mas no fundo achei inútil. Como abrir um debate sobre um assunto tão recorrente  com uma pessoa que se mostra tão limitada? E ela é só uma representante da fração ínfima diante da multidão de eleitores que se prestam a vender seus trinta segundos a peso daquilo que evapora, do tijolo, do cimento e da  famosa cesta básica que, por sinal, dura até um mês na despensa, coisa que um mandato não vai recompensar o voto trocado por mais 48 iguais. É isso dá direito ao eleitor de ir cobrar de seu feliz candidato na câmara municipal, assembléia,  prefeitura,  palácio do governo.... outras cestas e é justamente nessa hora que o eleitor se vê obrigado a indicar um profissional para o pobre político, seja um psiquiatra,  neurologista... o pobre (político) sofreu uma grave crise de amnésia!
          Sou uma mera espectadora, vendo essa lama podre impregnar cada vez mais um número impreciso dos eleitores brasileiros que não pensam a longo prazo.            Mas agora nos deparamos com outra questão: após o pleito eleitoral, posse, execução e as possíveis (quase corriqueiras) aparições dos bastidores negativos desse processo, há quem aponte o dedo na fuça do eleitor e o acuse de coisas do tipo: "Bem feito! A culpa é sua de votar errado"!
          Digam-me, acusadores: Como faço para votar no candidato certo? Minha bola de cristal não veio com capacidade de previsão divina.
          Tenho certeza que muitos realmente entram ali com o desejo latente de fazer a diferença. Mas existe uma pedra no meio do caminho e muitos não dispõem de desejo de pulá-la. E ela pode ter vários nomes: poder,  dinheiro, fama,  prepotência e afins. 
            Uma dica de uma leiga: não comece compactuando com aquele que lhe oferece R$50, R$100, um tanque de combustível,  um milheiro de tijolos, sacos de cimento ou qualquer coisa do tipo em troca de um único voto. Um único voto tem um valor que você não calcula.  Pra você, eleitor, o único esforço que você faz em troca disso é se deslocar de onde estiver, num domingo de outubro, para enfrentar uma fila e finalmente estar frente a uma urna eletrônica por uns trinta segundos e se retirar, até que precise retornar dois anos depois.
O trajeto desse domingo é pouco e totalmente confortável,  se for comparar com o que você recebeu como forma de compra do seu voto. .... E na segunda feira a gasolina da moto acaba, o tijolo ainda vai estar empilhado, esperando você poder comprar o cimento (já que o pacote não veio completo), ou o cimento vai ficar esperando o tijolo até que você possa comprá-lo (cimento vence em 90 dias) e sua cesta básica já vai ter sido totalmente consumida.

PENSEM!

          E quero dar-lhe meus sinceros Parabéns!  Você  acabou de ler mais um texto solto na web sobre a corrupção do Brasil, especialmente sobre eleições.  Não precisa especificar se municipais, estaduais/ federais.  O procedimento é o mesmo.

          Como disse o Faustão "a roubalheira existe desde Cabral".

E a culpa é do Cabral.

(e para que este texto tenha autora, lhe apresento eu mesma: Fernanda Oliveira - Palmas, Tocantins.  04 de setembro de 2016).

quinta-feira, 28 de abril de 2016

CURSO DE EBERICK EM PALMAS

Olá, colegas!

Temos o prazer de lançar mais uma campanha!
A bola da vez é o Eberick, software dedicado à engenharia civil para cálculo estrutural e afins.

Reserve sua vaga conosco! Inscrições abertas!

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

CURSO AUTODESK REVIT - INSCRIÇÕES PRORROGADAS!

INSCRIÇÕES PRORROGADAS!


Você tem mais essa chance para realizar sua inscrição no curso de Autodesk Revit 2015 e mergulhar no universo BIM!
E com uma super novidade! O precinho está irresistível: de R$ 1.300,00 por R$ 1.000,00 e você ainda pode dividir em até 5x no cartão de crédito e 3x no cheque (todos com entrada).
E não para por aí!
Também vamos sortear 3 bolsas com 50% de desconto! Será um sorteio por turma! Aproveite!

Venha ser Expert! Confira o regulamento da Campanha AQUI!
Inscrições abertas até 23/01/2016!





quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

CAMPANHA CURSO REVIT EM PALMAS - 2016 / PROMOÇÃO DE FÉRIAS

Olá, Amigos! 

A APTA quer desejar a todos vocês um excelente 2016 com muita sorte, saúde e sucesso!

Para celebrar este novo ano e aproveitar o restinho das férias, lançamos a primeira campanha do ano do curso de Revit em Palmas e  temos uma promoção imperdível!!

Concorra a 3 bolsas de 50% de desconto no curso! Isso mesmo! 
As vagas são limitadas!


Estamos aguardando você!
Datas previstas:
TURMA 1: De 18/01 a 05/02 de 2016, SEG a SEX das 14 às 18h
TURMA 2: De 18/01 a 17/02 de 2016 SEG a SEX das 19 às 22h
TURMA 3: De 23/01 a 28/02 de 2016 SÁB das 13h às 20h30 e DOM das 09h às 16h




            Nossos contatos: 
           063 32132914/ 63 8447-7778 / 63 8123-1466

Onde estamos:
Avenida JK, Quadra 103 Norte, Lote 36 - Edifício Sophia, 2º andar, sala 205, Palmas - TO 

Confira o regulamento da promoção AQUI.


REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DO CURSO REVIT CAMPANHA JANEIRO/FEVEREIRO 2016

* PROMOÇÃO VÁLIDA ENTRE OS DIAS 05 A 23/01/2016.

O curso do software Autodesk Revit, versão 2015, é presencial e realizado nas dependências da Apta Arquitetura, Engenharia e Treinamentos,  situada na Avenida JK, Quadra 103 Norte, Lote 36 - Edifício Sophia, 2º andar, sala 205, Palmas - TO e possui uma carga horária de 60 (sessenta) horas, *1 (uma) turma disponível no turno vespertino, **1 (uma) turma disponível nos turno noturno, ambas de Segunda a sexta-feira e ***1 (uma) turma aos finais de semana (Sábado e domingo), totalizando três turmas; instrutor certificado pela Autodesk para a versão 2015 do software;
1.    Do sorteio: serão ofertadas 3 (três) bolsas com 50% de desconto do valor total de R$ 1.000,00 (um mil reais), distribuídas nas 3 (três) turmas disponíveis desta campanha, sendo uma bolsa por turma; Aquele que possuir interesse em realizar o curso e participar dos sorteios, deverá fazer a reserva de vaga via email, preenchendo os dados solicitados na Ficha de Inscrição, que deverá ser solicitada através do email cursorevitpmw@gmail.com , ou telefones (disponíveis no final deste regulamento); O preenchimento da ficha não confirma a matrícula, que deverá ser feita de forma presencial, apresentando os documentos pessoais (original e cópias de cpf, rg e comprovante de endereço) e o valor da entrada referente à forma de pagamento restante, preferida pelo aluno: 
     Entrada R$ 200,00 + 5x de R$ 160,00 nos cartões de crédito VISA, MasterCard, American Express, Dinners Club, Elo ou HIpercard. ou  Entrada R$ 300,00 + 3x de R$ 233,00 (parcelamento em cheque, com entrada à vista).

Os sorteios dessas três bolsas serão feitos de forma presencial, após ter todos os nomes dos alunos com vagas reservadas e fichas preenchidas. Os sorteios só poderão ser realizados se todos os alunos inscritos naquela turma estiverem presentes antes do início da primeira aula, proporcionando maior credibilidade ao certame. O sorteio dará a garantia ao sorteado de que poderá participar do curso de Autodesk Revit para a campanha de Janeiro/Fevereiro 2016, compreendida entre os dias *25/01 a 28/02/2016 (previsão de data de início da primeira turma e data de conclusão da última turma, respectivamente). Caso a turma pretendida pelo sorteado não complete a lotação mínima (4 alunos - máxima 6 alunos), este poderá optar por cursar em outra turma da campanha vigente (Janeiro/Fevereiro 2016). As turmas e datas previstas são:
TURMA 1  - De 25/01 a 17/02 de 2016, SEG a SEX das 14 às 18h 
TURMA 2   - De 25/01 a 24/02  de 2016 SEG a SEX das 19 às 22h
TURMA 3  - De 23/01 a 28/02 de 2016 SÁB das 13h às 20h30  DOM das 09h às 16h

A Apta Arquitetura, Engenharia e Treinamentos se reserva ao direito de adiar por mais uma semana a campanha vigente se:
a)    As três turmas desta campanha não completarem a lotação mínima de quatro alunos - em casos excêntricos e de comum acordo entre instrutor e alunos, poderão haver três alunos na turma;
b)    Se duas, das três turmas desta campanha não possuírem a lotação mínima (4 alunos).
Nesse caso, se uma turma alcançar a lotação mínima (4 alunos), essa terá suas aulas iniciadas dentro do período estipulado neste regulamento, ainda que a campanha para as outras turmas esteja em vigência por mais uma semana, caso seja necessária sua prorrogação;
c)    Se uma das duas turmas disponibilizadas no período de prorrogação completar a lotação mínima de alunos (4), essa terá suas aulas iniciadas dentro do período estipulado neste regulamento e a turma restante, terá mais uma semana para prorrogação da campanha. Caso não ocorram inscrições suficientes para esta última, mas houverem interessados para a data e turma prevista, esta poderá começar com apenas 3 alunos, se for de comum acordo entre alunos e instrutor;  Caso não hajam interessados suficientes para a última turma (prorrogada), não haverá prolongamento para a campanha vigente e as turmas serão novamente disponibilizadas em nova campanha, com previsões de datas a serem definidas  posteriormente.

2.    DO DESCONTO: o valor total do curso nesta campanha passa de R$ 1.300,00 a (um mil e trezentos reais) para o valor promocional de R$ 1.000,00 (um mil reais) e o desconto de 50% do valor total do curso será ofertado àquele que for contemplado através de três sorteios, sendo o primeiro realizado na data de 23/01/2016, no início da primeira aula,  de forma presencial, assim como as demais, conforme definido neste regulamento. A promoção é válida para as turmas 1, 2 e 3, sendo uma bolsa ofertada para cada turma desta campanha. Aquele que não for sorteado e fizer o pagamento à vista, terá 10% de desconto sobre o valor de R$1.000,00 (um mil reais).

3.    DO PAGAMENTO: O sorteado poderá realizar sua  matrícula na data de início de sua turma, após o sorteio, antes do início da primeira aula, mediante documentos originais e suas cópias (RG, CPF)  e cópia do comprovante de endereço e o pagamento, que poderá ser à vista no valor de R$ 500,00 (quinhentos reais) ou do valor da entrada, de R$ 250,00 (duzentos e cinquenta reais) e o valor restante de R$ 250,00 (duzentos e cinquenta reais)  poderá ser parcelado em até 2x no cartão de crédito de R$ 125,00 (cento e vinte e cinco reais) ou ainda o valor da entrada, de R$ 250,00 (duzentos e cinquenta reais) e o valor restante de R$ 250,00 (duzentos e cinquenta reais)  poderá ser pago em cheque em parcela única de R$ 250,00 (duzentos e cinquenta reais), pré-datado no prazo de até 30 (trinta) dias.
Contatos: 63 3213-2914 (das 14 às 18h) 63 8447-7778 / 63 8123-1466



terça-feira, 27 de outubro de 2015

CURSO REVIT EM PALMAS!

Boa tarde a todos!!!
Apta Engenharia Treinamentos está lançando sua nova campanha para o curso de REVIT 2015!
INSCRIÇÕES ABERTAS!
Garanta já a sua vaga!


quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Curso de Eberick em Palmas - Inscrições prorrogadas!


Nossos contatos:
E-mail: formace.arq.eng@gmail.com
Fone: 63 3213-2914 (horário comercial)
63 8123-1466 (apenas whatsapp) e 63 8447-7778

Onde estamos: 
103 Norte Av. JK Lote 36 - Edifício Sophia
2º andar, sala 205 - Palmas - TO
Referência: Mesmo prédio da Brasilcard

sábado, 5 de setembro de 2015

terça-feira, 5 de maio de 2015

Curso Revit em Palmas - TO

Olá, pessoal!

Esta é a última semana para as inscrições do curso de Revit, na ProjetoAU Arquitetura.
As aulas começarão dia 12/05. 
Para maiores informações, entrar em contato por email projetoau.arq@gmail.com ou pelos telefones 063 8447-7778 (Oi e viber), , 063 8123-1466 (Whatsapp) e 063 3213-2914 (das 13:00h às 18:00h segunda a sexta). 
Vagas limitadas. 
Obs.: para aqueles que estavam cientes dos dias de aulas às terças e sextas-feiras (e conforme divulgado anteriormente),  houve uma alteração: aquelas que seriam às terças, serão às quartas-feiras agora. Manteremos as sextas-feiras. Segue novo folder.
Garanta a sua vaga!


quarta-feira, 1 de abril de 2015

CURSO REVIT 2015 - EM PALMAS - TO INÍCIO: 12 DE MAIO 2015

Olá, pessoal!
A ProjetoAU está com inscrições abertas para novas turmas do curso de Revit 2015. Confiram!

INÍCIO DAS AULAS: 12 DE MAIO

6 (seis) vagas por turma
Carga Horária: 60h
Informações e inscrições: 
EMAIL: projetoau.arq@gmail.com
FONE:  63 3213-2914 (Seg. a Sex. - das 13h às 18h)
                  8447-7778
                  8123-1466


Errata: Em "LOCAL: Rua NE 1 N. 07 Sala 01 - Palmas - TO", Leia-se: "LOCAL: Qd. 104 NORTE, Rua NE 1 N. 07 Sala 01 - Palmas - TO",

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

CURSO REVIT 2014 EM PALMAS-TO - Início em 20 de FEV/2015

Olá, pessoal!

A ProjetoAu Arquitetura está oferecendo vagas para o curso de Autodesk REVIT 2014. 

Inscrições abertas! Vagas limitadas.

Início das aulas: 20 de fevereiro de 2015

2 turmas
8 horas semanais
7,5 semanas 
Carga horária de 60h

Local: ProjetoAu Arquitetura
104 Norte, Rua NE1 N. 07 Sala 01

Contatos: 

Email: projetoau.arq@gmail.com
Fone: 63 3213-2914
           63 8447-7778 (Oi)
           63 8123-1466 (Tim e WhatsApp)





In tenpo: Os horários descritos no folder sofreram algumas alterações e foram criadas novas turmas, devido à procura, conforme abaixo:








quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Apresentação em vídeo

Arquiteto: Roberto Jesus
Desenho e modelagem: Fernanda Oliveira
Colaboração: Flávio Oliveira

Projeto de reforma e ampliação do salão de eventos Villa Real - Taguatinga - DF



ASSISTA AQUI

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Sky City - 天空 城市

              838m:  Será esta a altura do maior arranha-céu do mundo, que será construído na China, na cidade de Changsha,  vencendo o atual Burj Khalifa, em Dubai, nos Emirados Árabes.
                  Idealizado pela empresa chinesa BSB (Broad Sustainable Building), terá mais de 200 andares, abrigando um hotel, heliportos, hospital e escola. Uma verdadeira cidade vertical. 
                A previsão para o início das obras será neste mês de junho e em tempo recorde para execução: apenas 90 dias! Seriam noventa dias, isso se a burocracia advinda das  preocupações com o impacto ambiental e segurança, não tivessem atrasado essa perspectiva, adiando a conclusão dos serviços para, pelo menos,  mais 120 dias, num espaço total de sete meses.
         Ainda que atrase, ainda será um marco na construção civil, se for julgar pela envergadura gigante da obra. Mas tudo isso só será possível devido a toda estrutura ser em unidades pré-fabricadas. 

                A empresa é especializada em construções sustentáveis, tendo mais de 20 obras já executadas na China. Um exemplo interessante de sua eficiência construtiva em termos de tempo hábil na execução da obra, é o Ark Hotel. Com 30 andares, foi construído em apenas 15 dias, utilizando estrutura similar ao que será aplicado no Sky City. 
               O projeto original do Sky City seria para 666 metros de altura, mas o governo local queria que este fosse  o edifício mais alto do mundo e, para isto, 172m  foram acrescidos. 
             Mas para toda essa estrutura, todo um esquema de segurança foi calculado, prevendo-se catástrofes naturais. Será resistente aos terremotos de até 9,0 graus na escala Richter.



Curiosidades:
Edifício de uso misto, com 1.215.000m2, terá um hotel para até 1000 pessoas, um hospital, cinco escolas  e escritórios. 83% será direcionada a fins residenciais, abrigando, em média, 17.400 mil habitantes; Será dotado ainda de 17 helipontos, 10 rotas de fuga, 104 elevadores de alta velocidade.
O conceito de edifício sustentável se dará devido ao uso de iluminação em LED, que tende a diminuir enormemente o uso de energia, os vidros utilizados serão dotados de 4 camadas e o que ajudará a manter a temperatura entre 20º a 27º e o ar circulará com  um sistema de filtros que o purificará em até 20 vezes mais que o ar externo. Além disso, deve utilizar materiais reciclados de construções.


Texto: Fernanda Oliveira







Fontes: 



Imagens




sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Parcerias

Este projeto é de autoria do arquiteto Roberto Jesus Acevedo Vega , de Brasília - DF.






Novos trabalhos

Olá, navegantes!!

               Este projeto  é de autoria do escritório de Ataliba Luís Mota Teixeira, com maquete física como meu trabalho.
          Agradeço a visita!
          Voltem sempre!!!





domingo, 22 de abril de 2012

Um pouco de trabalho

           O bom da arquitetura é que ela proporciona um leque de possibilidades para que possamos atuar com propriedade. Uma delas é também o design de infinitas modalidades. 
              
              Aqui apresento um par de alianças, exclusivamente criada para um casal conhecido. O aro será confeccionado em ouro amarelo e o símbolo , que é uma junção das iniciais do nome dos dois entrelaçadas, será em ouro branco. Em cada extremidade da marca, um diamante.


quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Cidades Sustentáveis: Palmas em foco

video



               O debate contemporâneo dos citadinos palmenses versa sobre a expansão urbana. A contradição dos defensores desta medida se fixa na ausência de estudos que demonstrem a viabilidade (orçamentária, ambiental e social) da proposta em relação ao Plano-diretor participativo. Ressalta-se também, a falta de um debate amplo com a sociedade, essencialmente no que se refere à aplicabilidade da função social da propriedade e da cidade. Palmas, cidade conhecida pelos vazios urbanos, se depara com a pretensão do legislativo municipal em expandir os seus limites urbanos, condição que ocasionaria reflexos imediatos no custo de manutenção da cidade. A abordagem critica sobre o tema deveria considerar: a possibilidade de elevação dos impostos municipais; a influência direta nos custos do transporte coletivo (contrariando o PNMU); a consolidação da segregação socioespacial já existente na cidade; entre outros fatores impactantes. Neste contexto há indicativos de que o poder público municipal deveria concentrar a sua gestão no espaço urbano atual (perímetro urbano), ou seja, adensar os vazios urbanos existentes na região central da cidade. O debate técnico tem demonstrado que a transformação do rural em urbano deveria ser desestimulado, em razão de se tratar de um modelo ultrapassado, ante as concepções modernas de planejamento e gestão do território. Os custos de urbanização neste modelo proposto são insuficientes para cobrir os encargos inerentes ao suporte à expansão urbana sem planejamento. A cidade que cresce desordenadamente se endivida por não conseguir fazer face às despesas decorrentes da expansão, além de ferir princípios de sustentabilidade ambiental, econômicos e sociais consagrados na constituição federal. Neste contexto a UFT objetiva contribuir neste debate e promove este fórum com a finalidade de possibilitar maior conhecimento técnico sobre o assunto e produzir um documento que expresse o posicionamento acadêmico acerca do complexo tema.

PROGRAMAÇÃO
Quinta, 15 de Março de 2012

18h30min -
Abertura

19h -
Os custos da urbanização dispersa: por uma cidade sustentável

Síntese: Para contribuir com a compreensão do fenômeno da dispersão urbana e com a avaliação de seus impactos sobre a sociedade e o meio ambiente, o pesquisador do Núcleo de Estudos de População (Nepo) da Unicamp, mostrará o resultado de tese de doutorado na qual construiu um indicador de dispersão urbana inédito no Brasil.

Palestrante: Prof. Dr. Ricardo Ojima – Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN.

20h -

Plano-Diretor: aspectos jurídicos para alteração

Síntese: Para compreensão do processo legislativo sobre iniciativas de
Projeto de Lei Complementar que versem sobre alteração de Plano-Diretor, o renomado jurista autor de diversas obras, abordará esse tema à luz da Constituição Federal, Estatuto da Cidade e legislação pertinente. Estará esclarecendo quais os requisitos para os procedimentos de encaminhamento de PLCs que alterem o Plano-Diretor Participativo.

Palestrante: Prof. Dr. Toshio Mukai – Universidade de São Paulo - USP

21h -
Debate

Serão emitidos certificados de participação com 4 horas.
Inscrições: http://www.justocantins.com.br/
Site do evento: http//www.uft.edu.br/palmasemfoco

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Ciclovia para integrar


Fonte: www.infraestruturaurbana.com.br



Subprefeitura de Santo Amaro, em São Paulo, realiza projeto cicloviário de 38,21 km interligado aos modais de transporte e às áreas escolares e comerciais do bairro. Conheça as tipologias e soluções adotadas


Por Marina Pita

Para melhorar a mobilidade local, conectar os equipamentos urbanos e integrar os modais de transporte público do bairro de Santo Amaro, em São Paulo, a subprefeitura local projetou uma malha cicloviária que abrange todo o território do distrito - novidade para a capital paulista que, por ora, só possui ciclovias isoladas. Já aprovado e licitado, o projeto conta com 38,21 km de ciclovias - São Paulo inteira tem 47,2 km -, em 44 vias. Com três fases de implantação, a ciclovia de Santo Amaro pretende oferecer vias seguras para ciclistas a menos de 500 m, de onde quer que ele esteja no bairro.
Criar essa malha viária, de acordo com os objetivos, não foi fácil. Como o território de Santo Amaro foi um município independente da capital por quase 100 anos - 1832 até 1935 - ele se estruturou de forma autônoma, com regiões de vocações diversas. O distrito de Santo Amaro da atual subprefeitura, por exemplo, equivale a um pequeno centro comercial, inclusive com vias fechadas ao tráfego de carros. Há também zonas residenciais, sendo uma caracterizada pela ocupação de população de alta renda. Já a área residencial ocupada por população de baixa renda é praticamente um bairro dormitório.
O projeto desenhado pela TC Urbes, vencedora da licitação para realização do projeto, teve então de analisar todas estas questões cuidadosamente. O ponto de partida foi o Plano Regional Estratégico da subprefeitura, no qual algumas vias foram indicadas como cicláveis, mas sem maiores definições, apenas como indicativo da necessidade de aprofundamento deste estudo.
A partir daí foram levantadas as vias de transporte sobre trilhos, as linhas de ônibus, o planejamento de transporte por meio dos Planos Integrados de Transporte Urbano para 2020 e 2025. Todos estes dados cruzados levaram à definição de pontos de encontro das linhas de transporte, onde as ciclovias foram inseridas. "Elas foram desenhadas em paralelo às vias de transporte existentes e de forma complementar, sem sobreposição", explica Ricardo Corrêa, diretor da empresa de mobilidade e projetos urbanos TC Urbes.
Segundo ele, um dos fatores para o sucesso da malha cicloviária é justamente encontrar vias para o trânsito das bicicletas que sejam eficientes e evitem áreas de tráfego de veículos motorizados intensos, ao mesmo tempo em que interliguem a rede de transporte público.
Traçado de ciclovia perpassa áreas de instituições de ensino, de comércio e serviços, onde se observa alta concentração de tráfego, como mostrado nos mapas
Traçado
Mas criar uma malha cicloviária e colocá-la em funcionamento não é algo simples em uma cidade projetada há cerca de 100 anos para atender prioritariamente ao transporte motorizado. Neste sentido, a criação do plano cicloviário e seu trajeto considerou a necessidade de educação para o uso e adaptação da população.
Por isso, a TC Urbes realizou o levantamento das creches, escolas e universidades existentes no território de acordo com o número de usuários. "A educação deve ser uma das bases do planejamento cicloviário. E isso ocorre de forma transversal a partir do momento em que a ciclovia passa na porta da escola. A criança vai aprender como funciona o sistema e as leis de trânsito. Seja desde pequeno sendo levado pelos pais ou, mais velho, por conta própria", avalia o arquiteto.
Outro dado importante para o planejamento e desenho do traçado foi a identificação das áreas de concentração de comércio e serviços. Quanto maior a quantidade de lojas, restaurantes e empresas, maior a necessidade de ciclovias. O posicionamento das ciclovias da subprefeitura de Santo Amaro também foi influenciado pelo tipo de uso do solo. No caso de áreas com muito comércio e serviço, foram projetadas junto às calçadas.
A localização de espaços culturais e de áreas verdes e de lazer foi feita para que o plano incluísse estes pontos de atração e ampliasse a área atendida por cada um deles, uma vez que facilitará o acesso e saída.
A topografia é então cruzada com todos estes dados. De acordo com Corrêa, existe uma supervalorização da questão relevo em planos cicloviários. No caso das cidades brasileiras, este tópico deve ser trabalhado como, apenas, mais um elemento, segundo ele. "Não temos relevos impeditivos, tal como nos Andes, por exemplo."
O território de Santo Amaro, por exemplo, é bastante favorável. Boa parte de sua área de abrangência é ocupada pela várzea do rio Pinheiros, com declividades de 0% a 1%. Os terrenos com declividade entre 1% e 7%, considerados favoráveis ao trânsito por meio de bicicleta, ocupam por volta de 80% da subprefeitura.
Apenas a região leste é montanhosa e de topografia acidentada. Esta área requereu maior conhecimento de curvas de nível para definição das melhores vias para circulação por este modal. Para isso, foi levantada a carta clinográfica.
A inclinação das vias também foi usada para definição das fases de implementação do plano cicloviário, sendo que as primeiras ciclovias de Santo Amaro irão se localizar na região de várzea, onde é mais fácil o tráfego de ciclistas pouco experientes e iniciantes.
Depois de todo o levantamento teórico e muito trabalho de prancheta, os arquitetos da TC Urbes então partiram para a fase prática. Pedalaram cerca de 200 km na subprefeitura antes de finalizar o traçado das ciclovias. Segundo Corrêa, há ajustes que devem ser feitos em campo. "Consegui encontrar uma rota alternativa à avenida Vereador José Diniz apenas pela experiência em campo. Além disso há questões de segurança que se conhece só no local, conversando com os ciclistas."
Terrenos com declividade entre 1% e 7% são considerados favoráveis ao trânsito por bicicleta. Na carta clinográfica do bairro de Santo Amaro, vê-se que o intervalo corresponde a 80% da área da subprefeitura
Tipologias
Após a definição das vias, foi feito estudo detalhado para definir a tipologia adequada a cada uma delas tanto para a segurança do ciclista, quanto para não atrapalhar o tráfego de carros e ônibus.
De acordo com Corrêa, a infraestrutura para o tráfego de bicicletas vai variar de acordo com duas condições: o volume de transportes motorizados e a velocidade média em que trafegam. Quanto maior a velocidade e o volume de carros, maior será a necessidade de segregar veículos motorizados e ciclista.
Neste projeto foi concedido espaço confortável e suficiente para o ciclista em todas as vias - sejam elas segregadas visual ou fisicamente -, tendo, no mínimo, 1 m de largura e chegando até a 1,8 m, sempre ponderando conflitos com pontos de ônibus e pedestres.
Já o posicionamento das ciclovias depende basicamente do uso do solo no local, de acordo com Corrêa. Em pontos com grande quantidade de comércio e serviços, a ciclovia deve estar próxima à calçada. "As ciclovias no canteiro central são adequadas apenas onde não há atividade comercial. No caso de Santo Amaro, em especial, na região da Nações Unidas." A ciclovia bidirecional em canteiro central foi escolhida para que fosse separada do fluxo de automotores, pois estes se encontram em grande quantidade e trafegando em alta velocidade.
Em outros casos, outras tipologias são mais indicadas, como é o caso da rua Visconde de Taunay e Alexandre Dumas, onde a opção foi pela ciclovia elevada unidirecional em ambos os bordos.
A ciclovia elevada foi proposta para as áreas com espaço limitado para promover a segurança do ciclista, segregando-o fisicamente do fluxo dos veículos automotores, ao mesmo tempo em que permite o acesso aos lotes sem quebra da tipologia. O ciclista fica a 10 cm de altura a partir do leito carroçável e a 5 cm da calçada, dando também segurança ao pedestre. Para isso foi proibido o estacionamento em ambos os bordos da pista. Foram mantidos os pontos de táxi no bordo oposto à ciclovia, e nesses trechos a ciclovia passa a ter 2 m de largura.
Nos trechos em que há ponto de ônibus a ciclovia se desloca para o limite dos lotes, liberando a borda da pista para o acesso dos pedestres e passageiros. "Essa é uma ciclovia que garante a proteção do ciclista e evita situação de maior densidade do viário. Uma boa opção para onde não há muito espaço", explica Ricardo.
Em casos onde há maior espaço, é possível implantar ciclovias com segregador, como no caso da rua Padre José Maria. Sua tipologia é de ciclofaixa com segregador, tendo alterações mínimas na pavimentação e drenagem, e ainda assim, fornecendo segurança para o ciclista. A TC Urbes prefere o tacho ao tachão como segregador, uma vez que os veículos motores ultrapassam ambos sem dificuldade, mas um ciclista pode cair quando colide com o tachão.
Em determinado trecho foram desenhadas ciclorrota no fluxo e ciclofaixa com frades no contrafluxo, garantindo a segurança para os ciclistas que estiverem trafegando no sentido contrário dos veículos automotores e mantendo a viabilidade do tráfego de automóveis.
Para pequenas áreas com trânsito complexo, com mudança de sentido do tráfego, por exemplo, a TC Urbes optou por implementar a ciclovia sobre alargamento da calçada.
O projeto completo da ciclovia de Santo Amaro foi todo acordado com a Companhia de Engenharia de Tráfego que fez algumas modificações e trocou ciclovias por ciclorrotas, com a colocação de sinalização sobre o uso da via por ciclistas. "Em geral, a CET não concordou com a criação de ciclovias onde havia muito tráfego de veículos e trânsito parado, ou onde a ciclovia teria de ficar na contramão." Agora, concluído o projeto, falta a licitação para a construção.
Mapa da fase final de implantação da ciclovia de Santo Amaro, sem previsão de conclusão definida
Iluminação e drenagem
A escolha de tipologias de acordo com cada tipo e uso de via é um dos fatores para garantia da segurança dos ciclistas, assim como a iluminação adequada. O projeto de Santo Amaro propõe acrescentar postes de 7 m de altura com lâmpadas de vapor de mercúrio de 250 W.
Elas serão instaladas a cada 15 m em vias de maior exposição do ciclista, e/ou com alto tráfego de veículos motorizados, a fim de proporcionar uma iluminação mais direcionada e concentrada nas áreas. Já em vias de menor exposição do ciclista, e/ou de menor fluxo de veículos motorizados, essa distância pode ser ampliada para 20 m.
Nas vias que já possuem iluminação direcionada às futuras ciclovias e ciclofaixas, a iluminação proposta deverá ser incorporada onde o distanciamento da iluminação existente exceder os 15 m ou 20 m.
O projeto também define as adaptações em termos de drenagem, a serem feitos nas vias que receberem ciclovias. Em geral, quando não impedem o escoamento da água pluvial para as bocas de lobo existentes, sua construção terá 2% de inclinação para não haver empoçamento. Já nos casos em que a ciclovia obstrui as bocas de lobo, o projeto prevê a implantação de gárgulas (1%).
Projeto de implantação
Por fim definidas todas as vias a receberem ciclovias e infraestrutura adequada para o tráfego de bicicletas, é hora da criação de um plano de implantação. A opção em Santo Amaro foi de estruturá-la por fases de capilaridade.
A primeira fase prevê as conexões entre bairros e estrutura à rede cicloviária; é composta por 33,72 km de vias, na primeira etapa. Na segunda etapa da primeira fase, a rede passa a ter um adicional de 15,88 km passando a ter um total de 54, 83 km aos finais de semana, como forma de estimular o uso da bicicleta.
A segunda fase tem o objetivo de propiciar o acesso aos bairros e compreende a implantação de infraestrutura para a circulação da bicicleta em 38,12 km de vias. Nos finais de semana, a rede recebe um acréscimo de 7,08 km, menor do que na primeira fase porque parte desta já foram agregadas ao sistema, como é o caso da av. Engenheiro Eusébio Estevaux.
A terceira fase tem o objetivo de propiciar circulação interna aos bairros. Esta fase contempla a implantação de infraestrutura para a circulação da bicicleta em 45,11 km de vias.

Desenhos Técnicos

Clique aqui para ver ampliado